Hey, Ho, Moscou!

Moscou foi outra cidade que amamos, assim como São Petersburgo. A cidade respira história e é muito legal conhecer tantas coisas que estudamos (ou colamos hahaha) tão de perto. A cidade é linda e a região da Praça Vermelha deixa qualquer um de queixo caído! Lá se encontram as principais atrações turísticas da cidade: Catedral de São Basílio, Catedral de Kazan, o Kremlin e o Shopping Gum. Andar por lá é uma delícia e não deixe de fazer isso também a noite quando tudo está iluminado. Imperdível!

Ao redor da Praça Vermelha
Ao redor da Praça Vermelha
Jardim do lado de fora do Kremlin
Jardim do lado de fora do Kremlin

Os monumentos de Moscou são imponentes e sua arquitetura única, diferente das europeias e asiáticas. E assim como em SPB, muito ouro e “riqueza” em tudo – valem muito as visitas aos principais pontos turísticos. As igrejas, ortodoxas, também são únicas em tudo, magníficas!

Também comemos muito bem na cidade! Há diversas opções de culinária com ambientes bem aconchegantes a preços razoáveis (esperamos que o rublo não se valorize novamente haha). A maioria dos restaurantes tem menu em inglês e alguns tem até foto dos pratos. Uma dica, alguns restaurantes não aceitam cartão de crédito, inclusive em um passamos um sufoco, pois não nos avisaram antes e não perguntamos também. Então tenha sempre dinheiro em mãos!

Em relação ao transporte, conseguimos fazer tudo de metrô (que além de ser um mero meio de transporte é, em diversas estações, uma obra de arte!) ou a pé! Existe uma dificuldade da comunicação, mas não é nenhum bicho de sete cabeças. É importante saber a estação que você irá em cirílico e pronto.

A única coisa que não demos muita sorte foi o tempo. Apesar de termos ido em setembro, mês que teoricamente ainda não está muito frio, pegamos praticamente todos os dias com o tempo fechado e às vezes com chuvisco, o que contribuiu para a sensação térmica ficar ainda mais baixa (entre 0-5 graus. De qualquer forma, fique atento à previsão do tempo para não ser pego de surpresa, pois o clima lá não é para brincadeira.

E por fim, falando de segurança, achamos Moscou bem tranquilo de andar a noite nas principais regiões. Zero stress e sensação de insegurança. Tome sempre cuidado com seus pertences, pois pickpockets estão sempre presentes, apesar de não termos visto.

DESTAQUES DE MOSCOU:

  • A arquitetura local, desde a Catedral de São Basílio até as estações de metrô… única! Vale passar em Moscou somente para observar tudo!
  • A culinária da cidade, onde se pode comer o melhor da comida russa e também de todo o leste europeu e até mesmo de outros países antes parte da União Soviética
  • A relativa facilidade de se andar pela cidade, pois muitas atrações estão concentradas mesmo a cidade sendo enorme em si!

Vale muito a visita, e agora abaixo damos mais detalhes de nossa experiência!

Kremlin
Kremlin

HOSPEDAGEM EM MOSCOU

Já falamos isso anteriormente que como uma das coisas que mais encarece a viagem é acomodação, sempre optamos por lugar com bom custo-benefício. Em Moscou não foi diferente.  Muitos turistas optam por se hospedar ao redor da Praça Vermelha, local dos principais pontos turísticos da cidade e de vários restaurantes; porém, acaba sendo consideravelmente mais caro.  Ficamos em um hotel simples (Agios Hotel, encontramos no Booking) próximo à estação de metrô Kurskaya (linha 3-Azul), que é somente a uma estação da Praça Vermelha. O bairro era residencial, não tinha nada de muito especial, mas atendeu bem nossas necessidades.

Ao entrarmos no nosso quarto foi muito engraçado, pois basicamente só tinha o espaço da cama e o banheiro. A pergunta: onde colocarmos a mala? Hahaha sério, havia um minúsculo corredor apenas para circulação! Ainda bem que a mochila do João é pequena e conseguimos coloca-la numa bancada que tinha na janela, enquanto a da Thay ficou embaixo de uma mini mesa.

Tirando a questão do espaço e de ter “custos escondidos”, pois nos cobraram 3% para pagar com cartão e mais 500 rublos de cada de “taxa de cadastro do passaporte no sistema do governo russo”, o quarto era limpo e o hotel bem localizado. Não tinha café da manhã, mas já estava na programação.

Pagamos aproximadamente 2.750 rublos a diária (equivalia na época a R$ 140). Abaixo uma montagem do nosso mini quarto.

Hotel Agios
Hotel Agios

COMENDO E BEBENDO EM MOSCOU

Achamos que em Moscou gasta-se um pouco mais que São Petersburgo para comer e beber, porém nada muito diferente (leia-se 10-20% acima do que colocamos em nosso post anterior). Há diversos restaurantes na região da Praça Vermelha, especialmente ao norte e noroeste dela, e dá para ir a pé (cuidado com Moscou, pois muitas vezes exige alguma caminhada maior, por exemplo, andar 1-2km para achar algo que lhe interesse – dica: pesquise antes e evite “andar até achar algo que interesse” para não ficar ansioso e acabar caindo em algum lugar de custo-benefício ruim). Até mesmo dentro do GUM, o shopping que fica na Praça Vermelha, existem também algumas opções em conta. Claro que existem outras regiões, inclusive que devem ser menos turísticas, mas lhe exigem pesquisa prévia, que conforme falamos antes, recomendamos fortemente aqui!

Abaixo alguns dos lugares que fomos foi:

  • Vatrushka (Ватрушка): o lugar é bacana, mais refinado do que casual. Gastamos lá 3.500 pedindo uma entrada, dois pratos com cerveja e uma taça de vinho. Os pratos foram bem feitos, valeu a pena!

image

  • Khinkalnaya: outro restaurante georgiano que achamos bem bom, com comida a preços razoáveis barata (apesar dos vinhos, em específico, serem caros) e com um ambiente legal e casual!
  • Мандарин.Лапша и утки: um asiático bem legal para ir também, próximo ao metrô da Praça da Revolução. – ambiente super bacana com preços bem razoáveis (gastamos 1.700 rublos). A Thay pediu um pato desfiado que estava demais!

image

  • Stolovaya 57: um restaurante praticamente por quilo dentro do Gum. Comida ok (a que pegamos na verdade estava mais ou menos…), e barato. Gastamos menos de 1.000 para os dois, com fruta de sobremesa;
  • Le Pain Quotidien: próximo ao metrô da Praça da Revolução também. Caso queira um café da manhã mais “internacional”, pode ir lá. É mais caro, mas falam inglês e tem algumas opções que nós brasileiros estamos mais acostumados.

Outros que não fomos, mas parecem que valem a visita:

  • Grand Cafe Dr. Zhivago (bem próximo à Praça Vermelha) – reserve antes ou chegue cedo!
  • Chestnaya Kukhnya (próximo ao Metro Krasnye Vorota)
  • Jamie’s Italian (também bem próximo à Praça Vermelha)

E, como em toda a Russia, se você estiver na pegada de fast-food, há praticamente em qualquer canto Subway, KFC e Burger King.

O QUE FAZER EM MOSCOU

Abaixo alguns lugares que fomos e curtimos:

  • Praça Vermelha: famosa praça de Moscou. Aquela que quando você chega, já te arranca suspiros e você não sabe nem exatamente para qual lado olhar. Ao seu redor tem vários dos principais monumentos da cidade. A praça era conhecida pelos desfiles militares soviéticos que aconteceram. Uma curiosidade legal é que o seu nome não é devido ao seu redor ter vários monumentos vermelhos ou à associação com comunismo, e sim porque no russo antigo vermelho significa bonito. E sim, é maravilhosa! Não deixem de ir também a noite para região pois fica toda iluminada e linda!
Portão da Ressureição, na Praça Vermelha
Portão da Ressurreição, na Praça Vermelha
Praça Vermelha
Praça Vermelha
  • Catedral de São Basílio: é uma catedral ortodoxa que fica na praça vermelha e é o monumento mais conhecido de Moscou. Sua arquitetura impressiona, com cores vibrantes e coloridas em suas cúpulas que lembram um sorvete hahaha. Foi construída a mando de Ivan, o Terrível, entre 1555-1561 e hoje também é considerada um Museu (lembra que falamos no post anterior da Rússia que a maioria das igrejas hoje em dia são Museus?!). Uma coisa interessante é que ao observá-la do lado de fora temos a sensação que é apenas uma igreja, mas, na verdade, são 9 capelas conectadas. Não deixe de entrar para também conhecer o seu interior. Ah, e vocês sabiam que há uma lenda em que diz que Ivan mandou cegar o arquiteto que construiu a igreja para que ele não fizesse algo similar em outros lugares? Surreal, né?
Catedral de São Basílio, na Praça Vermelha
Interior da catedral
Interior da catedral
Interior da Catedral, com imagens de santos
Interior da Catedral, com imagens de santos
Mais uma de fora da Catedral de São Basílio
Mais uma de fora da Catedral de São Basílio
  • Kremlin – Armoury Chamber / Palácio do Arsenal: antes de falarmos com mais detalhes da Armoury Chamber, o Kremlin em si é um complexo onde está residência oficial do Presidente Russo (a palavra significa fortaleza), abrigando também um conjunto de catedrais e o Palácio do Arsenal.O palácio mostra um pouco da riqueza dos impérios russos desde Ivan, o Terrível. Muito bacana! Tem objetos de casa, armas e armaduras, o relógio da Catarina que é demais, joias, itens de cozinha e jantar, etc. O mais legal são as carruagens e as roupas e até mesmo vestidos da época! Pagamos 1.400 rublos o casal, já com áudio guide;
Entrada da Armoury Chamber
Entrada da Armoury Chamber
Kremlin
Kremlin
Jardim no Kremlin
Jardim no Kremlin
  • Kremlin – Praça das Catedrais: inclui 3 catedrais – Catedral de Ressureição, Catedral de Anunciação, Catedral do Arcanjo, onde foram realizadas cerimônias imperiais e onde também tem o túmulo de vários czares. Estas catedrais foram umas das últimas que visitamos na Rússia e, para ser sinceros, já estávamos um pouco cansados de ver mais igrejas com muitos detalhes. Mas o passeio tem muita história, o interior delas é muito lindo e ainda há um jardim em sua proximidade bem legal e bem cuidado;

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  • Passeio de barco pelo Rio Moscou: ficamos um pouco na dúvida se este passeio valia a pena ou não, mas no final decidimos fazer. E olha que no dia que dizemos caiu um belo temporal que quase fez com que perdêssemos o passeio. Pegamos o barco organizado pelo Radisson Hotel (pesquisamos bastante e lemos que este era o melhor). O passeio dura aproximadamente 1 hora e meia pois pegamos o que saia do Parque Gorky, que aliás, também vale a visita. Há um de 2,5 horas que sai do próprio Radisson. Optamos por fazê-lo durante o período noturno para ver a cidade toda iluminada!! Simplesmente maravilhoso. Além disso, no barco tem serviço e você pode comer petiscos e tomar alguns drinks. Mas lembre-se que neste tipo de passeio os preços são um pouco mais salgados. Mas se você pensa em ir para Moscou, não deixe de incluir este passeio!
    Como referência, os pratos no barco custavam aprox. 1.000 cada. Pedimos uma entrada e não era boa… Já o vinho era relativamente barato, 1.550 a garrafa!
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Kremlin e São Basílio ao fundo
Interior do barco
Interior do barco

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  • Mausoléu de Lenin: fica também na Praça Vermelha e, apesar de ter uma fila extensa, a visita é bem rápida, pois você não pode tirar fotos e nem ficar parado. A visita basicamente percorre um caminho para ver o corpo do líder soviético Lenin. Parece um boneco de cera, dá até para duvidar que é o corpo de fato rsrs! Mas vale a pena a visita! E é grátis! Uma dica importante é que só abre de manhã, portanto coloque ele como uma das primeiras visitas do seu dia;
  • Tour pelas Estações de Metro: as estações de Moscou são um verdadeira obra de arte. São super antigas e preservadas e devem fazer parte do seu roteiro. O mais legal é que cada uma tem uma história. Visitamos a Mayakovskaya, Belorusskaya, Novoslobodskaya, Komsomolskaya e Taganscaya, que foi inclusive uma indicação que lemos no blog da Lala Rebelo. Uma das que achamos mais bonita foi a Komsomolskaya;
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Estação Komsomolskaya

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  • GUM: shopping mais famoso de Moscou, também localizado na Praça Vermelha. A estrutura existe desde 1815, quando era um centro de comércio. Seu teto é todo de vidro o que dá um charme ainda maior. Ah, lembra que comentamos que há detector de metal na entrada dos shoppings no post sobre Rússia (clique aqui para ver mais curiosidades). Este será um dos que você irá observar isso!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  • Catedral de Kazan: é uma igreja também localizada na Praça Vermelha. Apesar de pequenininha é super charmosa e vale a pena a visita;

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

  • 7 irmãs de Stalin: são 7 arranha-céus (de são hotéis a prédios do governo e até uma universidade) espalhados por Moscou construídos na época de Stalin, sendo que quase todos podem ser vistos do passeio de barco que falamos acima.

 

LOCOMOÇÃO & COMUNICAÇÃO EM MOSCOU

Em geral gostamos da locomoção de Moscou. Metrô (e trem) amplo e conectado aos aeroportos, ônibus satisfatórios (apesar de termos usado pouco) e Uber barato. Peca em ser pouco amigável aos pedestres, que andam bastante entre uma estação de outra e são obrigados muitas vezes a utilizar passagens subterrâneas para atravessar as avenidas. Logo, se não enxergar uma faixa, é porque provavelmente há uma passagem por baixo da avenida! Quanto à comunicação, nada muito diferente de SPB, exceto pelo fato de que lá o inglês é (ainda) mais raro, seja entre as pessoas, seja nas sinalizações. Mas fique tranquilo(a), você vai conseguir se virar com o trio palavras soltas em inglês + mímica + apps de tradução.

Ah, e Google Maps – baixe o mapa off-line de Moscou antes de chegar na cidade!

Falando do metrô, lembre-se que em Moscou é mais que um meio de locomoção! Além disso, ele é eficiente e sua malha é ampla. O único porém é que as estações são relativamente longe uma da outra, mais de 2km muitas vezes! Da mesma forma que em SPB, baixe o aplicativo do metrô de Moscou – ele é imprescindível! Aqui, diferente de SPB, os nomes nas estações estão apenas em russo. Mas nada complicado de se guiar, apenas preste atenção antes de entrar nos trens e planeje seu caminho durante a longa descida das escadas rolantes. E olhe para o chão, há diversas sinalizações no metrô que são grandes adesivos colados nele!

Preço do metrô em Moscou: é normal gastar 3-4 passagens/dia/pessoa. Se estiver em duas pessoas e ficar 3+ dias, já vale comprar o pacote de 20 bilhetes. Sai 650 (32,50 cada) ao invés do unitário de 50 rublos. Lembrando que um ticket vale para uma “corrida”, independente da estação que você vai descer.

Andamos também de ônibus, porém menos que em SPB. Se o fizer, veja antes no Google Maps para saber qual linha deve pegar. Custa 50 também. O Uber aqui também é bem razoável, especialmente se tiver em 2 ou mais pessoas. E, se quiser um taxi, utilize os apps GETT Taxi ou Yandex.Taxi – mais fácil do que explicar para um taxista russo onde quer ir.

Saindo do aeroporto em Moscou: utilizamos apenas o Vnukovo, mas a dica é: se estiver em 2 ou mais, vá de Uber. No momento o Uber dava 850 rublos para nosso hotel vs. 470 do Airport Express (o preço do Domodedovo é o mesmo) + 50 do metrô cada.

SE VIRANDO COM DINHEIRO EM MOSCOU

Em Moscou aceita-se bem o Visa e Mastercard, apesar de um pouco menos que em SPB. Há ATM’s por toda parte também. Em relação a trocar dinheiro, não nos demos muito bem em Moscou, fomos pegos pela pressa e pelas entrelinhas. Portanto, cuidado! Aliás, sempre cuidado nessas horas, onde os espertinhos adoram aparecer. A taxa aparecia em todos os visores e papéis 63,50 rublos para cada USD. Demos o dinheiro e a mulher me entregou menos que esperávamos. Então que ela fala que a taxa é 60,50 para trocas menores que 30.000 dólares. Isso mesmo, TRINTA MIL DÓLARES. Em resumo: pedimos para desfazer a conversão e nada feito, mesmo após ter dado uma boa causada. A taxa também estava ligeiramente pior que São Petersburgo. Logo, se você vai antes para SPB, recomendamos trocar seu dinheiro lá. Caso contrário, só lembre de observar bem (isso em todo lugar) as taxas escondidas.

Valeu e até a próxima!

Abraços,

Thay e João

3 Comment

  1. Raphael Marin says: Responder

    Thay, o site e os posts de vocês estão muito legais. Já tinha comentado com você o quão incrível é o que vocês estão fazendo. Isso definitivamente é uma experiência para a vida inteira. Vou querer muitas dicas quando a jornada de vocês acabarem.
    Continuem curtindo o momento!!!

    Beijos

    Ferrerinha

    1. Thayejoaopelomundo says: Responder

      Ferreirinha,

      Que demais que está nos acompanhando! E Muito legal ter feedback como o seu! A viagem realmente está animal, estamos super curtindo! Sempre que quiser dicas, estamos à disposição!

      Beijos

  2. Larissa says: Responder

    Esse Ivan realmente é Terrível! kkkkkkk Curtindo muito os posts e conhecer um pouquinho mais a cultura desses lugares!! Ansiosa pelos próximos posts (pressão)! kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Beijos !!!

Deixe uma resposta